Decorreu hoje dia 05 de Julho de 2021 no Conselho de Serviços de Representação do Estado na Cidade de Maputo a cerimonia de entrega de EPI e Equipamento hospitalar, doado pela USAID á Cidade de Maputo, em resposta a 3a vaga de Covid 19.
O evento foi Dirigido por Sua Excia Secretario de Estado da Cidade de Maputo e estiveram presentes, Representantes da USAID; Jhpiego, a Directora do Serviço de Saúde e membros do Comite operativo de emergencia em Saude Publica.


O Nosso Maior Valor é a Vida.

Construído no âmbito das reformas que o Ministério da Saúde (MISAU), introduziu na Cadeia de Abastecimento de Medicamentos e produtos afins, o Armazém Intermediário de Chimoio, localizado na província central de Manica, foi inaugurado esta quinta-feira, 01 de julho de 2021, em cerimónia dirigida pelo Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi.

A infraestrutura faz parte dos 30 Armazéns Intermediários (AI), que o MISAU, através da Central de Medicamentos e Artigos Médicos (CMAM), a única instituição com mandato para realizar a logística farmacêutica no país, prevê erguer em todo o território nacional, para abastecerem directamente as Unidades Sanitárias (US) no âmbito da substituição dos Depósitos Provinciais (11) e Distritais (240) de Medicamentos.

O Armazém foi contruído de raíz e, encontra-se implantado numa área de 4 hectares, compreendendo escritórios, armazém principal, armazém para vacinas equipado com câmaras frigoríficas, guaritas, casa de máquinas, incineradora, sistema de tratamento de lixos, sistema de abastecimento de água equipado com dois furos, parque de estacionamento.

Na sua intervenção, por ocasião da inauguração do Armazém, o Presidente da República destacou o impacto da infraestrutura na melhoria das condições de assistência hospitalar à população daquela região, especificamente na provisão atempada de medicamentos.

Filipe Nyusi reiterou, também, o cometimento do seu governo na continuidade da melhoria das condições de saúde da população.

Por seu torno, o Ministro da Saúde, Armindo Tiago, em nome dos profissionais do sector de Saúde, agradeceu ao governo e parceiros por terem criado condições para a edificação do armazém e assegurou que o mesmo vai melhorar a disponibilidade, em tempo útil, de medicamentos e demais produtos de saúde nas Unidades Sanitárias.

Iniciou esta quarta-feira, 30 de junho, na província de Maputo, a XV Reunião Nacional de Planificação e Finanças do Ministério da Saúde (MISAU).

A decorrer sob o lema "Promover o Subsistema de Saúde Comunitária para o alcance da Cobertura Universal da Saúde", o evento de três dias vai avaliar o Grau do cumprimento das Recomendações da XIV Reunião Nacional de Planificação e Finanças; fazer o Balanço do Plano Económico e Social e Orçamento do Estado (PESOE) 2021 - I Semestre; debater a Estratégia de Reformas da Administração Pública (ERDAP) - Plano de acção; a Relevância do novo Modelo de Planificação e Orçamentação (MPO) 2022 - Orientações no contexto da descentralização e; analisar as Prioridades e linhas estratégicas para o Plano Económico e Social e Orçamento do Estado para 2022.

A Reunião tem a particularidade de decorrer cerca de dezoito meses depois do início da implementação e implantação de novos órgãos de Representação do Estado, ao nível da Província, "facto que traz consigo desafios acrescidos para os processos de governação, planificação e gestão financeira", tal como destacou o Secretário Permanente do MISAU, Grilo da Silva Lubrino, no seu discurso de abertura da mesma.

Grilo da Silva Lubrino lebrou aos presentes, que no caso do Sector da Saúde, a descentralização implicou a transferência de competências dos órgãos centrais, a definição de acções estratégicas, metas e indicadores específicos para cada nível, facto que demanda o aprimoramento dos mecanismos de articulação e a monitoria das actividades e dos recursos disponíveis para implementar as nossas actividades, razão da reflexão que iniciou esta quarta-feira, na província de Maputo.
"Temos, pois, uma oportunidade soberana para debater, consolidar os ganhos, partilhar boas práticas adquiridas, bem como para corrigir, de forma pró-activa, os aspectos negativos que comprometem a eficácia e eficiência de nossa actuação como Sector".