Óbitos devido à COVID-19

Total: notificados três (3) óbitos em pacientes infectados pelo novo Coronavírus; ; todos do sexo masculino e de nacionalidade moçambicana e que tinham 34, 50 e 78 anos de idade. Destes, um (1) óbito foi declarado no dia 30/03/2021 e dois (2) óbitos foram declarados no dia 31/03/202. O cumulativo de óbitos causados pela COVID-19 passou a ser de 769.

Novos casos positivos
Total: 113 indivíduos testaram positivo para COVID-19 nas últimas 24 horas, de um total de 1.549 amostras testadas; cento e nove (109) têm nacionalidade moçambicana, três (3) são estrangeiros e um (1) é de nacionalidade ainda por identificar; sessenta e três (55.8%) são do sexo masculino e cinquenta (44.2%) são do sexo feminino. Todos os novos casos hoje reportados resultam de transmissão local. A Cidade de Maputo registou quarenta e seis (46) casos, correspondendo a 40.7% do total dos casos novos hoje reportados em todo o país, seguida pela Província de Nampula com dezoito (18) casos, igualmente com 15.9%. Cumulativamente, o país tem 67.579 casos positivos registados, dos quais 67.263 casos são de transmissão local e 316 são casos. importados.

Casos activos
Total: o País tem 10.391 casos activos.

Pacientes recuperados
Total: setecentos e cinquenta e oito (758) casos totalmente recuperados da COVID-19. Dos casos recuperados hoje anunciados, setecentos e cinquenta e sete (757) são indivíduos de nacionalidade moçambicana e um (1) é estrangeiro. Actualmente, 56.409 (83.5%) indivíduos previamente infectados pelo novo coronavírus estão totalmente recuperados da doença.

Casos suspeitos testados
Cumulativo: 480.898 casos suspeitos testados em Moçambique, desde o início da pandemia até 31/03/2021.

Novos internamentos
Total: cinco (5) novos internamento nas últimas 24 horas, havendo 92 pacientes nos Centros de Internamento de COVID-19 e em outras Unidades Hospitalares (62% destes pacientes encontram-se na Cidade de Maputo e o cumulativo é de 3.138 pacientes internados).

Altas hospitalares
Total: doze (12) altas hospitalares nas últimas 24 horas.

Pessoas rastreadas em Moçambique
Cumulativo: 4.587.876 pessoas rastreadas para a COVID-19 nos diferentes pontos de entrada; 119.437 foram submetidas à quarentena domiciliar; 8.783 pessoas observam ainda a quarentena domiciliar; e 3.037 contactos de casos positivos estão em seguimento.

MISAU-DCI

A garantia foi dada na manhã deste Domingo, 28 de Março, pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago, durante a homenagem aos médicos e aos demais profissionais perecidos vitimas de Covid-19.

Inserida no Dia do Médico Moçambicano, que hoje se comemora sob o lema “Pela Dignidade da Classe Médica no Combate à COVID-19”, a homenagem, que teve lugar na sede da Ordem dos Médicos de Moçambique, na cidade de Maputo, consistiu no descerramento de um memorial, uma iniciativa da Ordem dos Médicos de Moçambique e da Associação Médica de Moçambique, com o qual se pretende imortalizar a vida e obra dos profissionais de saúde tombados no cumprimento da sua missão.

Por reconhecermos o papel jogado pelos profissionais de saúde que já não se encontram entre nós, descerrámos hoje um memorial em sua homenagem. Queremos com este gesto demonstrar o nosso apreço e carinho, e agradecer por tudo que fizeram, pelas vidas que sacrificaram para cuidar dos seus pacientes. Às famílias dos nossos falecidos colegas, amigos e companheiros de batalhas, queremos endereçar os nossos mais profundos sentimentos de pesar e conforto pelas perdas irreparáveis, pelo vazio que deixaram no seu seio e no país em geral”, referiu Armindo Tiago na sua intervenção pela ocasião.

A doação foi feita esta Quinta-feira, 25 de Março e consiste em mais de 20 mil máscaras N95, 60 mil luvas de látex, 900 vestes de protecção individual para os profissionais de saúde, termômetros, óculos de proteção e demais itens relacionados.

Estes materiais e equipamentos foram recebidos pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago, para quem os mesmos irão viabilizar uma necessidade concreta do nosso país, e mais precisamente do sector da saúde, na melhoria da assistência aos pacientes com COVID-19.

Armindo Tiago aproveitou a ocasião para lembrar que a doação do Brasil acontece numa altura em que Moçambique já iniciou a administração da vacina contra a Covid-19, mas que nem por isso se deve baixar a guarda em relação às medidas de prevenção e à criação de condições hospitalares.