O Ministro da Saúde Armindo Tiago trabalha desde a tarde da Quarta-feira, 18 de Março, na província de Cabo Delgado.

Entre os principais pontos de agenda da visita de trabalho destacam-se a avaliação e reforço do nível de preparação daquela província para a prevenção do Coronavirus e resposta a um eventual surto.

A cólera que desde 31 de Janeiro assola as províncias de Cabo Delgado e Niassa está também nas atenções do Ministro.

Logo à sua chegada, o Ministro trabalhou no Hospital Provincial de Pemba, onde visitou as instalações do antigo bloco operatório, que deverão ser reabilitadas em tempo recorde para servir de enfermaria para os doentes do Coronavirus em estado grave.

O Hospital Central de Maputo (HCM), está preocupado com a lista de espera das cirurgias electivas de otorrinolaringologia que actualmente situa-se em seis meses.
Para reverter o quadro, uma campanha de cirurgias de otorrinolaringológia com a duração de cinco dias está em curso nesta unidade hospitalar onde espera-se que até ao dia (21/02) sejam operados 80 pacientes previamente seleccionados, na sua maioria crianças.
 
 
A iniciativa, a primeira do género levada a cabo por médicos de nacionalidade moçambicana, permitirá que pacientes que necessitam do mesmo procedimento ou serviço médico cuja demanda é maior que a oferta, não tenham de esperar por períodos longos para serem atendidos.
 
Segundo deu a conhecer Pedro Machava, Médico e Director do Serviço de Otorrinolaringologia do HCM, cada cirurgia demora em média uma hora e embora sejam de regime ambulatório os pacientes operados permanecem internados no hospital por uma noite sendo que, após a alta são seguidos através de controlos semanais.

Teve início na Terça-feira 11 de Fevereiro de 2020, em Lilongwe - Malawi, a VI Reunião_do Comité de Coordenação Regional do Projecto para o Reforço do Controlo da Tuberculose e dos  Sistemas de Saúde na  África Austral.

 Com a duração de três dias, a Reunião tem como objectivo avaliar o grau de implementação do Projecto, o impacto que o mesmo está a ter no controlo da Tuberculose (TB) na região e na melhoria dos serviços de Saúde Ocupacional, e avaliar a possibilidade de financiamento adicional para os países membros, que é feito pelo  Banco Mundial (BM).