Foi reforçada esta quarta-feira, 15 de Julho, o stock do material de testagem da Covid-19 no país, com a entrega ao Ministério da Saúde pela multinacional Total, de 12.500 kits de colheita de amostras, seis mil reagentes e 24 mil kits de extracção de seis mil amostras.

O conjunto do material, a ser alocado ao Instituto Nacional de Saúde (INS), foi entregue ao ministro da Saúde, Armindo Tiago, pela multinacional TOTAL, no âmbito da sua acção de responsabilidade.

Na ocasião, Armindo Tiago disse que a iniciativa é importante para o aumento da capacidade de diagnóstico laboratorial no país.

“Este apoio reveste-se de importância particular para o fortalecimento da capacidade de diagnóstico laboratorial da Covid-19 no nosso país, sobretudo neste contexto em que há escassez destes materiais no mercado internacional”, explicou o ministro.

O dirigente salientou que no âmbito da descentralização do processo de diagnóstico deste vírus, iniciou esta quarta-feira, nas cidades de Quelimane e Tete, a testagem laboratorial da Covid-19.

“A partir de hoje, as cidades de Quelimane e Tete também têm a capacidade de diagnosticar esta doença, usando a tecnologia do tipo GeneXpert, um método que tem sido usado no nosso país para o diagnóstico da tuberculose”, revelou Armindo Tiago.

O país notificou, de ontem para hoje, mais 62 casos de infecção pelo novo Coronavírus, elevando o cumulativo para 1.330 pessoas diagnosticadas com a doença desde o seu início, sendo 1.195 de transmissão comunitária e 1 35 importados.

   

Segundo o comunicado de actualização de dados emitido esta quarta-feira, 15.07, pelo Ministério da Saúde, do total dos indivíduos notificados com a doença,  60 são de nacionalidade moçambicana e dois indianos, e foram extraídos de um lote de 806 amostras suspeitas e testadas nos laboratórios nacionais do sector público e privado.

“Os mesmos provêm da vigilância activa nas unidades sanitárias, vigilância activa e do rastreio de contactos de casos positivos”, refere o MISAU.

Em termos de distribuição dos novos casos, a autoridade sanitária indica que onze são da província de Cabo Delgado, cinco de Nampula, quatro de Tete e dois de Sofala.

As províncias de Inhambane e Gaza tem três e dois casos respectivamente, enquanto Maputo notificou 30. Outros quatro são da cidade de Maputo.