A recomendação é da esposa do Presidente da República, Dra. Isaura Ferrão Nyusi e foi feita esta este Domingo, 26 de Setembro, em Pemba, capital da província de Cabo Delgado, por ocasião do Dia Mundial da Contracepção.

De acordo com a esposa do Presidente da República, a celebração do 26 de Setembro é uma homenagem a todos os adolescentes e jovens, independentemente do seu estatuto social, económico, político, credo religioso ou condição física, e visa promover cada vez mais o Acesso à Informação e aos Serviços de Contracepção Modernos. "Constitui igualmente um momento de reflexão, visando delinear estratégias benéficas para colectivamente derrubarmos barreiras, corrigirmos disparidades, priorizando a sensibilização dos adolescentes e jovens na adopção dos métodos contraceptivos eficazes que contribuem para um desenvolvimento demográfico sustentável".

Numa mensagem dirigida especificamente aos dolescentes, rapazes e raparigas, lembrou o lema da celebração deste ano que é “Adolescentes e Jovens façam contracepção, protejam-se, nada de desculpas, conheçam as vossas opções, vosso futuro nas vossas mãos”, afirmando tratar-se de um apelo para o reforço da advocacia no acesso ao conhecimento e aplicação do método da contracepção pelos adolescentes e jovens, reforçando a ideia de ser esta "a melhor forma de contribuirmos na redução das gravidezes precoces e, acima de tudo, a retenção da rapariga na escola, um factor determinante para desenvolvimento do Capital Humano".

Pela primeira vez, desde 21 de Junho do corrente ano, o país não notificou óbitos resultantes de complicações da Covid-19.

O facto faz com que Moçambique permaneça, com o número cumulativo de 1.892 indivíduos que perderam a vida devido ao Sars-Cov-2.

Entretanto, no que concerne aos casos de infecção pelo vírus, mais 187 indivíduos testaram positivo, num universo de 2.367 amostras testadas em todo o país.

Quanto aos recuperados, houve a notificação de 189 indivíduos dados como livres da COVID-19.

Actualmente, Moçambique tem 6.042 casos activos.

MISAU-DCI

Trata-se do primeiro lote de um total de 9.3 milhões de doses de vacinas da Johnson & Johnson, adquiridas no âmbito da Iniciativa African Vaccine Acquisition Trust (AVAT) implementada em parceria com a União Africana.

As vacinas foram entregues pelos parceiros implementadores da AVAT, ao Secretário Permanente, Grilo da Silva Lubrino, em cermónia havida na manhã de hoje no edifício sede do Ministério da Saúde em Maputo. Na ocasião, o Secretário Permanente, lembrou aos presentes, que as mesmas chegam numa altura em que no país já está em curso a Campanha de Vacinação Massiva, no qual já foram completamente imunizados mais de 1 milhão de moçambicanos.

"O lote que recebemos hoje e os que chegarão nos próximos dias, vão permitir-nos continuar a implementar o Plano Nacional de Vacinação Massiva, por forma a alcançarmos os cerca de 17 milhões de pessoas elegíveis, de acordo com o mesmo Plano", referiu.