Lídia Cardoso fez o apelo esta Segunda-feira (30 de Agosto), na cidade de Maputo, durante a cerimónia central do Dia Nacional do Dador de Sangue, assinalado no Domingo (29 de Agosto), sob o lema “Doe sangue e mantenha o mundo a pulsar”.

A dirigente justificou a sua afirmação com a redução que se regista no número de doações de sangue, no país, agravada agora com a pandemia de Covid-19.
A título de exemplo, no primeiro semestre deste ano foram colhidas e testadas 56.434 unidades de sangue, contra as 63.308 do igual período do ano transacto. Isto representa uma redução de 10.8%”.

Por isso, o desafio do sector, de acordo com a Vice-ministra, continua a ser aumentar o número de doações provenientes de dadores voluntários e de repetição.

Lídia Cardoso que falava no Serviço Nacional de Sangue (SENASA), local onde assistiu a uma campanha de doação de sangue, lembrou aos presentes, que o abastecimento adequado de sangue seguro apenas pode ser garantido através de doações regulares, voluntárias e não remuneradas. “É nesse sentido que em nome do Ministério da Saúde, lanço um apelo à população no geral para que apoie as doações voluntárias de sangue, olhando-as como um acto de solidariedade para todos e que garantam que os Bancos de Sangue do País sejam auto suficientes de modo a garantir o acesso ao sangue seguro”.

O Ministério da Saúde (MISAU) efectuou esta quarta-feira, 25 de agosto, o lançamento do Guião de Funcionamento dos Centros de Internamento de Covid-19 e o Manual de Avaliação e Manejo de Pacientes com Covid-19.

Os dois instrumentos foram lançados durante a abertura do XI Conselho Hospitalar e o acto oficial do lançamento foi marcado pela entrega, por Sua Excelência o Ministro da Saúde, Armindo Tiago, de um exemplar de cada, ao Director Geral do Hospital Central de Maputo (HCM), Mouzinho Saíde.

O primeiro (Guião de Funcionamento dos Centros de Internamento de Covid-19) orienta aos profissionais de saúde para instalação e gestão de um Centro de Covid-19 (CICOV) e padroniza todos os procedimentos.

O segundo (Manual de Avaliação e Manejo de Pacientes com Covid-19) oferece orientações aos gestores e aos profissionais de saúde sobre o manejo dos pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 nos diferentes níveis do Sistema Nacional de Saúde.

O Guião de Funcionamento dos Centros de Internamento de Covid-19 e o Manual de Avaliação e Manejo de Pacientes com Covid-19, pretendem ser um apoio útil e práctico para uma melhor prestação de serviços no manejo de casos da Covid-19.

MISAU-DCI

Terminou ontem, sexta-feira, 13 de agosto de 2021, a Presidência Rotativa do Conselho de Ministros da Comunidade de Desenvolvimento dos Países da África Austral (SADC), por parte de Moçambique, órgão então dirigido pela Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verônica Macamo.

A cerimónia que foi testemunhada pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago entre outros membros do Governo Moçambicano e de paises da SADC, teve lugar em Linlongwe, no Malawi, e culminou com a entrega de pastas por parte de Verônica Macamo, ao Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional da República do Malawi, Eisenhower Mkaka, próximo Presidente do Conselho de Ministros da SADC.

Assumida em Agosto de 2020, a presidência do Conselho de Ministros da SADC por Moçambique, tem decorrido em meio à pandemia da Covid-19, sobre a qual, em seu discurso, pela ocasião, a presidente cessante deste órgão, caracterizou como sendo grave e a representar ainda um grande desafio para a região. “Foi neste quadro nebuloso que definimos e implementamos as prioridades da nossa presidência dentro da Agenda global da SADC. Foi sim, neste contexto, que tivemos que zelar pelas actividades delineadas com vista a materialização do nosso lema SADC: 40 Anos Construindo a Paz e Segurança, Promovendo o Desenvolvimento e Resiliência face aos Desafios Globais”, explicou Verônica Macamo.

A presidente cessante do Conselho de Ministros da SADC saudou a região em geral, por, durante este período historicamente difícil para todos, os órgãos do organismo regional continuarem a funcionar com eficácia, permitindo deste modo que se avançasse com o progresso na implementação dos objectivos traçados.