Imprimir

Os hospitais do país passarão a contar com um sistema informatizado de gestão hospitalar.

A informação foi avançada hoje, (04/05) pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago durante uma visita efectuada ao Hospital Central de Maputo onde de perto, foi-se inteirar dos prejuízos causados pelo incêndio que na manhã deste sábado, consumiu por completo, parte do arquivo clínico intermediário daquela unidade hospitalar.

Sem precisar datas concretas, o titular do pelouro da saúde deu exemplo do Hospital Central de Quelimane que já possui um sistema de gestão hospitalar informatizado, tendo avançado que decorre neste momento a instalação de um igual no Hospital Central de Maputo.

“Temos no país, hospitais com sistemas informatizados, sobretudo o Hospital Central de Quelimane que já é totalmente digitalizado. Para o caso do Hospital Central de Maputo, já iniciamos a informatização dos processos clínicos e achamos que dentro de pouco tempo estará concluído, porém, este incêndio coloca-nos o desafio de acelerar ainda mais o projecto, mas isso dependerá do volume dos processos e da capacidade técnica instalada". Avançou o Ministro.

Questionado sobre o que terá estado por detrás do incêndio , o dirigente foi cauteloso e disse ser prematuro avançar-se com qualquer tipo de informação, mas explicou estar a decorrer um trabalho de perícia com vista a se apurar as reais causas, tendo garantido fornecer o relatório em menos de 15 dias.

Recorde-se que o incêndio cujas causas ainda são desconhecidas, destruiu parte considerável do arquivo clínico intermediário do Hospital Central de Maputo tendo consumido a informação clínica de alguns pacientes que ali se encontrava a mais de 10 anos.