Imprimir

Terminou ontem, sexta-feira, 13 de agosto de 2021, a Presidência Rotativa do Conselho de Ministros da Comunidade de Desenvolvimento dos Países da África Austral (SADC), por parte de Moçambique, órgão então dirigido pela Ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verônica Macamo.

A cerimónia que foi testemunhada pelo Ministro da Saúde, Armindo Tiago entre outros membros do Governo Moçambicano e de paises da SADC, teve lugar em Linlongwe, no Malawi, e culminou com a entrega de pastas por parte de Verônica Macamo, ao Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional da República do Malawi, Eisenhower Mkaka, próximo Presidente do Conselho de Ministros da SADC.

Assumida em Agosto de 2020, a presidência do Conselho de Ministros da SADC por Moçambique, tem decorrido em meio à pandemia da Covid-19, sobre a qual, em seu discurso, pela ocasião, a presidente cessante deste órgão, caracterizou como sendo grave e a representar ainda um grande desafio para a região. “Foi neste quadro nebuloso que definimos e implementamos as prioridades da nossa presidência dentro da Agenda global da SADC. Foi sim, neste contexto, que tivemos que zelar pelas actividades delineadas com vista a materialização do nosso lema SADC: 40 Anos Construindo a Paz e Segurança, Promovendo o Desenvolvimento e Resiliência face aos Desafios Globais”, explicou Verônica Macamo.

A presidente cessante do Conselho de Ministros da SADC saudou a região em geral, por, durante este período historicamente difícil para todos, os órgãos do organismo regional continuarem a funcionar com eficácia, permitindo deste modo que se avançasse com o progresso na implementação dos objectivos traçados.

 

Entre as actividades e eventos realizados no mandato de Moçambique, destacou Verônica Macamo, contam-se reuniões estatutárias e não estatuárias, a exemplo da 40ª Cimeira Ordinária da SADC, realizada em Junho do ano em curso, em Maputo, no formato presencial, cujos resultados contribuíram plenamente para impulsionar as acções de implementação das iniciativas definidas no quadro da Presidência de Moçambique. “Gostaria igualmente de destacar como ganhos obtidos da 40ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo, a decisão adoptada sobre medidas concretas para a restauração da estabilidade na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, com o desdobramento da Força de Estado de Alerta da SADC em missão de apoio às forças de Defesa e Segurança do nosso país. O destacamento das forças da SADC à Moçambique constituiu uma reafirmação clara e inequívoca do sentido de fraternidade tradicional e coesão que caracteriza os nossos países enquanto bloco regional. Reconhecemos o enorme sacrifício consentido pelos povos irmãos da região que acederam enviar os seus melhores filhos em missão de apoio ao nosso país. Moçambique ficar-vos-á eternamente grato por este gesto de bravura sem preço, ao qual se juntaram outros irmãos do continente e parceiros internacionais”.

Ainda no rol das principais acções e realizações da SADC durante a Presidência do Conselho de Ministros por parte do nosso país, Macamo enfatizou o lançamento do Centro de Operações Humanitárias e de Emergência da SADC (COHE), na cidade moçambicana de Nacala, no quadro da promoção das acções de resiliência às mudanças climáticas, a realização do Fórum de Negócios da SADC, à margem da 40ª Cimeira, como parte do compromisso de Moçambique com a agenda de desenvolvimento e integração regional.

É por isso que, de acordo com a presidente cessante do Conselho de Ministros da SADC, Moçambique, ao passar o testemunho à República do Malawi, fá-lo com profunda satisfação, não somente pelo sentimento de dever cumprido, mas, por acreditar que “estamos perante um país com capacidade e habilidade política necessárias para levar a bom termo a liderança da SADC, neste período caracterizado pela prevalência de múltiplos desafios”.

A Sessão do Conselho de Ministros da SADC, cuja presidência Moçambique passou ao Malawi esta sexta-feira, antecede a 41ª Cimeira Ordinária dos Chefes de Estado e de Governo da SADC, a ter lugar naquele país vizinho, de 17 a 18 do corrente agosto.

Neste evento, lembre-se Moçambique far-se-á representar ao mais alto nível, com uma delegação chefiada pelo Presidente em Exercício da SADC, Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, que entre outros, vai integrar Sua Excelência Armindo Tiago, Ministro da Saúde.

O mandato de Moçambique na Presidência da SADC, também termina na cimeira de Lilongwe.

MISAU-DCI