Imprimir

Moçambique recebeu esta segunda-feira, 5 de junho, em duas cerimónias distintas, dirigidas pela Vice-Ministra da Saúde, Lidia Cardoso e, realizadas no Aeroporto Internacional de Maputo, mais 158.000 doses de vacinas contra a Covid-19.

Do total de doses recebidas (158.000), 50.000 são da vacina “Vaxzevria” e foram doadas pelo Governo português, representado na ocasião pelo Secretário do Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Francisco André, que também ofereceu 141.934 máscaras N95 para os profissionais de Saúde que estão na linha da frente, no combate à Covid-19.

Intervindo no acto da recepção das vacinas e do material de protecção individual, Lídia Cardoso referiu que a doação simbolizava as excelentes relações de irmandade e cooperação bilateral entre Moçambique e Portugal.

A número dois do MISAU falou igualmente da tendência crescente de casos, internamentos e óbitos devido à Covid-19, no País, destacando que as vacinas recebidas do Governo e povo português ajudarão a prevenir formas graves e óbitos devido à esta doença.

O Secretário do Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal, Francisco André, por seu turno vincou que mesmo estando, também a ser assolado pela pandemia, o seu País, nunca deixará de prestar apoio aos países irmãos, referindo-se às nações africanas de expressão portuguesa (PALOP), por tratar-se de um dever histórico.

 

As outras doses de vacina que Moçambique recebeu esta segunda-feira, em número de 108.000 são da vacina “AstraZeneca” e foram doadas pelo Governo da França, através do mecanismo COVAX e, se juntam às primeiras 384.000 doses do mesmo imunizante que o País recebeu no passado dia 03 de Março.

Falando a respeito desta doação, Lidia Cardoso disse que vai permitir que o sector da Saúde dê continuidade à execução do seu Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, lembrando que o nosso País espera receber, por via do mecanismo COVAX, ainda este ano, um total de 2.064.000 doses de vacinas que vão permitir aumentar o acesso equitativo à vacinação contra a COVID-19 pela população, cobrindo cerca de 20% do total da população a ser vacinada.

Já o Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República Francesa, David Rizzo, começou por lembrar a cimeira sobre o financiamento das economias africanas realizada em Paris, na qual participou o Presidente da República, Filipe Nyusi, para dizer que congratula-se com os resultados daí saídos e que é, em parte, graças a eles que ocorreu a doação feita esta segunda-feira pelo seu Pais, através do mecanismo COVAX.

Participante da cerimónia, o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Moçambique, Tomás Valdez, referiu que é importante que sejam observados os princípios de equidade no acesso à vacina, a nível global, pois só assim serão cumpridas as metas estabelecidas para a vacinação contra a COVID-19. Tomás Valdez falou também da solidariedade, manifestado o apreço da OMS, ao Governo francês, pelo gesto e ao Governo de Moçambique, pelos esforços que tem empreendido na gestão e mitigação dos efeitos da pandemia da COVID-19.

Facilitador do processo de aquisição das vacinas, o Fundo da Nações Unidos para a Infância (UNICEF), fez-se presente no acto, pela representante residente da organização, em Moçambique, Katarina Johansson, que assegurou que esta continuará a dar o seu apoio ao Governo moçambicano, de modo a que possa haver mais disponibilidade de vacinas para uma maior cobertura vacinal no País.

MISAU-DCI