Imprimir

O Ministério da Saúde e a Vodacom assinaram esta quarta-feira, 30 de Novembro, um Memorando de Entendimento que visa a oferta de redes mosquiteiras, telemóveis, uniformes e início da operacionalização de uma aplicação tecnológica para monitorar em tempo real a campanha de pulverização.

O acto da assinatura coube a Sua Excelência Ministra da Saúde, Dra. Nazira Abdula, e ao Presidente do Conselho de Administração da Vodacom, Lucas Chachine.

 

Trata-se de dez mil redes mosquiteiras, dois mil uniformes e dois mil celulares oferecidos ao MISAU, bem como a disponibilização de uma aplicação tecnológica desenvolvida pela operadora e a Moovi para monitorar em tempo real a campanha de pulverização. Um projecto-piloto que vai padronizar, recolher e sistematizar as informações recolhidas na pulverização, enviando-as para uma plataforma que é gerida pelo Ministério da Saúde.

Na sua intervenção, a Ministra da Saúde, Dra. Nazira Abdula enalteceu a oferta e a cooperação com a Vodacom, tendo referido que “as 10.000 redes que hoje recebemos, reforçarão o stock existente e contribuirão no aumento da capacidade de resposta as diversas solicitações de redes mosquiteiras”. Tendo ainda frisado que “apesar do aumento de casos, nos últimos anos, o número de óbitos por malaria reduziu em 33%”.

Por seu turno, Lucas Chachine, Presidente do Conselho de Administração da Vodacom, reiterou que a Malária é uma doença que tem sido absolutamente devastadora em Moçambique. A principal arma que temos é a prevenção, e é em função da mesma que nos devemos esforçar para combater este problema de saúde pública. Sentimo-nos sensibilizados por esta causa e estamos convictos de que podemos, devemos e vamos ajudar o Ministério da Saúde a melhorar os meios de prevenção que existem para diminuir os riscos de contágio desta doença.”

O evento foi testemunhado por Profissionais da Saúde, corpo directivo da Vodacom, entre outros.