Donativos diversos, constituídos por Equipamentos de Protecção Individual (EPI’s), materiais médicos/clínicos entre outros, foram entregues ao Ministério da Saúde (MISAU), esta quarta-feira, 02 de Junho de 2021, pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Trata-se, no que diz respeito aos EPI’s, de 4.700 Batas descartáveis, 10 mil Máscaras Cirúrgicas, 20 mil Luvas de examinação, 5.440 Óculos de Protecção e 12 mil Sacos para lixo de risco biológico.

Entre os materiais médicos/clínicos, contam-se 20 Ventiladores de UTI para uso adulto e pediátrico com os seus respectivos acessórios e consumíveis, 32 Aparelhos BIPAP (que funcionam como um respiradores mecânicos no tratamento de doenças pulmonares), 6 mil Máscaras de Oxigénio com reservatório adulto, 1.400 Máscaras de Oxigénio com reservatório pediátricas, 12 Cânulas Nasais de alto Fluxo; 25 mil Kits de extracção Qiagene, 9.884 High Throughput PCR (Ensaio qualitativo Roche cobas SARS-CoV-2 incluindo kits de extracção e testes PCR), 28 mil Kit’s de reacção RT-PCR (kit RT-PCR fluorescente em tempo real BGI), incluindo kits de colheita de amostras, consumíveis, kits de extração e Testes PCR, 40 mil Zaragatoas e Meio de Transporte Viral.

Falando a propósito da recepção do donativo conjunto, o ministro da Saúde, Armindo Tiago, enalteceu a acção do BAD e da OMS, considerando que os meios doados contribuirão para uma melhor preparação e resposta aos eventuais efeitos de uma terceira vaga da Covid-19.

O Ministério da Saúde (MISAU) e o Conselho Nacional de Combate ao SIDA (CNCS) lançaram, a 31 de Maio, na cidade de Maputo, o segundo estudo sobre o índice de estigma de pessoas vivendo com HIV em Moçambique, para colmatar a falta de dados actualizados e consistentes.

A pesquisa, enquadrada nos esforços do Governo para, primeiro, apoiar as comparações entre cenários ao longo do tempo e, segundo, avaliar o impacto histórico, presente e/ou futuro das intervenções de mitigação do estigma contra Pessoas vivendo com o HIV (PVHIV), vai abranger a capital do país e as províncias de Maputo, Gaza, Cabo Delgado, Nampula, Zambézia e Sofala, de Junho a Dezembro deste ano.

O público-alvo são as populações-chave, nomeadamente as mulheres trabalhadoras de sexo, os homens que fazem sexo com outros homens, as pessoas que injectam drogas, os reclusos e transgéneros.

No lançamento do estudo, o Ministro da Saúde, Armindo Tiago, disse estar convicto de que os resultados irão contribuir para o estabelecimento de políticas e estratégias baseadas em evidências e, com base neles, se possa reduzir as novas infecções pelo HIV, mortes e melhorar o bem-estar das PVHIV e as populações-chave.

Segundo o governante, para consolidar os ganhos do país na luta contra o HIV/SIDA, todos são chamados a contribuir considerando o V Plano Estratégico Nacional de Resposta ao HIV e SIDA (PEN V 2021-2025).

Trata-se de Luísa Marta Aureliana da Costa Panguene, então Inspectora-Geral Adjunta Sectorial, que substitui no cargo a Ussene Hilário Isse, que tomou posse para a função de Assessor do Ministro para a Área de Assistência Médica e Porta-Voz do MISAU, Horácio Manuel, empossado para a função de Chefe do Departamento Central Autónomo de Infraestrutura e Equipamento Hospitalar e Armando Cristóvão Nhantumbo para a função de Chefe do Departamento Autónomo de Aquisições, todos eles nomeados por despacho ministerial.

A cerimónia de tomada de posse teve lugar durante a Sessão do Conselho Consultivo do Ministro, realizada esta quarta-feira, 12 de Maio, em Maputo e, na sua intervenção pela ocasião, Sua Excia Prof. Doutor Armindo Daniel Tiago, Ministro da Saúde, começou por reconhecer o trabalho e a entrega demonstrados pelos Directores e Chefes de Departamento cessantes na construção e consolidação do Sistema Nacional de Saúde.

De seguida, Armindo Tiago endereçou desejos de sucessos nas novas funções, aos quatro novos empossados, aos quais, sectorialmente, desafiou a assegurarem a implementação dos programas e políticas governamentais definidas para o sector da Saúde.