Imprimir

A Cidade de Nampula, no Norte do país, acolheu esta quarta-feira, 17, ao Lançamento do primeiro Inquérito Sero-Epidemiológico sobre a COVID-19, evento realizado no maior mercado da cidade, o grossista de Waresta, e a um agregado familiar do bairro Muahivire, cujos lançamentos foram dirigidos pelo Secretário do Estado da Província de Nampula, Mety Gondola, pelo Governador da Província de Nampula, Manuel Rodrigues e pelo Presidente do Município de Nampula, Paulo Vahanle.

Na sua interacção com operadores de transportes na terminal de Waresta, designadamente Táxi-motos, táxi e autocarros de passageiros, o Secretário de Estado,Mety Gondola, realçou a importância do inquérito, tendo dito que “este (inquérito) é muito importante para a nossa província pois irá permitir que a saúde e outros sectores tenham a dimensão do vírus aqui na nossa cidade e assim ser possível tomar decisões mais acertadas”.

Por seu turno, o Presidente do Conselho Autárquico de Nampula, Paulo Vahanle, na sua interacção com os vendedores no interior daquele mercado, apelou-os a aderirem ao Inquérito. “Precisamos nos unir para acabar com esta pandemia, por isso todos devem fazem parte do inquérito, seguirem o que as brigadas da saúde orientarem. Participem nesta acção”.

Enquanto isso, em um agregado familiar do bairro Muahiviri, há cerca de 30km do centro da cidade, o Governador da Província, Manuel Rodrigues, visitou algumas casas, onde interagiu com os moradores e famílias, tendo mobilizado à participação neste primeiro inquérito sero-epidemiológico da COVID-19.

 

“A situação na nossa cidade é preocupante pois as autoridades da saúde declararam o padrão de transmissão comunitária, o que significa que devemos fazer algo para inverter este cenário. Ao aderirmos a este inquérito vamos contribuir para que Nampula saia do cenário em qua se encontra neste momento”.

O Ministério da Saúde esteve representado no lançamento pelo Director-geral adjunto do Instituto Nacional de Saúde, Eduardo Samo Gudo, que na ocasião esclareceu que para além de entrevista, o consentimento, será feito um teste rápido.

“É importante que fique claro que o texto que será feito não é o PCR, ou seja, o mesmo não irá detectar se a pessoa tem ou não coronavírus naquele momento, mas sim irá nos dizer se essa pessoa esteve ou não exposta a alguém positivo de coronavírus. Esta informação vai nos ajudar a adoptar políticas mais assertivas e direcionadas no combate a este novo vírus”.

Segundo as Autoridades da Saúde, o Inquérito Sero-Epidemiológico da COVID-19, cujo término está previsto para o dia 26 de Junho e os resultados divulgados nos princípios do mês de Julho, visa identificar as áreas de maior transmissão do Novo Coronavírus e encontrar novas cadeias de transmissão da doença em Nampula.