Imprimir

Por intermédio do seu laboratório localizado no distrito de Marracuene, o Ministério da Saúde destaca-se por ser a única instituição pública do país, com capacidade para diagnosticar com segurança, um número considerável do novo coronavírus.

Sob gestão do Instituto Nacional de Saúde (INS), a instituição tem recebido amostras, recolhidas em todo o país para confirmar se trata-se ou não, de casos positivos do vírus.

Diariamente, chegam naquele laboratório, entre 40 a 60 amostras e mesmo assim, a instituição ainda não atingiu a sua capacidade máxima que actualmente se situa em 600 amostras por dia.

 

Para atingir esta meta, o pessoal existente seria obrigado a trabalhar em três turnos com o mesmo número de equipamento disponível.

O INS conta neste momento com 20 técnicos de laboratório, que trabalham todos os dias da semana para testar as amostras que diariamente chegam.

Em termos de capacidade, o sector da saúde já recebeu até ao momento, cerca de 22 mil kits de diagnóstico do novo coronavírus, dos quais mais de 200 já foram usados.

Cada província, recebeu 20 kits e todas as amostras, são enviadas a Maputo para obtenção do resultado.

Para garantir a segurança, as amostras são transportadas através de companhias de transporte, e em ambientes frios.

Uma vez em Maputo, são armazenados num recipiente de recolha e a posterior, encaminhados a sala de cultura de células, onde os técnicos de saúde, devidamente protegidos, extraem a amostra para testagem.

Em seguida encaminha-se para a sala limpa, onde com o auxílio de reagentes químicos, mistura-se com o material genético.

Por fim e num computador, faz-se a leitura, para determinar se o paciente tem ou não coronavírus.

No entanto, existem no país, laboratórios privados com capacidade para realizar o diagnóstico mas enviam as amostras para fora do país para obtenção do resultado.

O Ministério da Saúde está a trabalhar numa estratégia para expandir o diagnóstico do coronavírus para as outras províncias do país.